Distanciamento

Me pergunto o quanto estamos distantes dos costumes
Como sinto falta das brincadeiras de criança
Brincadeiras que os nossos pais brincaram
Mas que os nossos filhos, dificilmente brincarão.

Como temos nos distanciado da tradição
Como temos deixado que a núvem da novidade
Como uma enorme tempestade
Tome conta da nossa vida.

Hoje, as relações pessoais são cada vez menores
As paqueras, as cantadas, têm rostinhos amarelos
Os namoros são através de lentes
A liberdade de dizer 'eu te amo', de sentir o frio na barriga
Deu lugar à expectativa do voyerismo.

Onde pararemos e como será a próxima sociedade?
Me sinto um velho aos trinta.
Postar um comentário